quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Vai e não voltes

Demitiu-se o chefão do SIED - Serviço de Informações Estratégicas e de Defesa. Não deixa saudades:  este é o personagem pidesco que chegou a pedir publicamente que se alterasse a Constituição da República no sentido de limitar a liberdade e privacidade dos cidadãos para melhor poder vigiá-los («a impossibilidade constitucional de os serviços poderem realizar "intercepções telefónicas" constitui uma "situação grave por privar o país de um meio de defesa face a determinados tipos de ameaças"»). O senhor Silva Carvalho demite-se por achar que, num momento em que se cortam verbas em serviços públicos essenciais como a saúde, ou na assistência a quem mais precisa (RSI), os serviços de «informaçõezinhas» (ou «intelligence», como ele gosta de dizer) não deveriam ter cortes. Como se tivéssemos a obrigação de pagar para violarem as nossas liberdades.

Sem comentários :

Enviar um comentário

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.