terça-feira, 5 de outubro de 2010

Robert Edwards e o papa...

Robert Edwards recebe o Nobel da Medicina e o papa declara-se imediatamente incomodado.

Eu tenho dois filhos concebidos 'in vitro' e quando ouvi a notícia a minha primeira reacção foi apetecer-me matar o papa: arrancar-lhe os braços e dar-lhe com eles até o matar! :o)

Eu sei que ele vive tremendamente isolado lá no Vaticano, com os amiguinhos, entre festas e idas ao alfaiate para fazerem vestidinhos novos e comprarem meias púrpura da melhor seda (para fazerem inveja uns aos outros), e reuniões a planearem lavagens de dinheiro no Banco Ambrosiano. Deve ser difícil a estes degenerados apreciar o mundo na sua diversidade e complexidade. Parece portanto natural que este bando de snobs, lúbricos e alarves, sejam incapazes de perceber a felicidade que a fertilização in vitro proporcionou a milhões de pais como eu. Mas acho que alguém devia dizer a este ex-nazi, ex-inquisidor-mor, a este patrono dos pedófilos, inimigo da justiça social, a este sabujo do capitalismo selvagem, que é o representante da organização mais violenta do mundo, que ganha a vida a incitar os crentes contra os homossexuais e depois acusa os muçulmanos de serem violentos... alguém lhe devia dizer que as declarações dele hoje, contra o Nobel da Medicina, foram um bocado insensíveis.