quarta-feira, 20 de junho de 2012

Uma mentira de Relvas cabalmente provada

No ponto 103 do relatório da ERC, é descrito um telefonema (o das 18h03m) entre Relvas e Leonete Botelho. O registo das comunicações telefónicas (ver ponto 107) comprova que o telefonema existiu. E no entanto, o ministro negou verbalmente à ERC e depois por escrito (ver ponto 105), que o telefonema tenha existido. Ah, e curiosamente esse segundo telefonema não foi testemunhado pelos assessores que garantiram à ERC que no primeiro telefonema não se falara da vida privada da jornalista...

Também curioso é que Relvas estivesse tão «irritado» (isso, até os assessores admitem) com algo que o Público chegou a considerar não publicar. Ou ferve em pouca água, ou temia que aquele caminho levasse a descobrir muito mais sobre as suas ligações à escumalha das secretas.