segunda-feira, 18 de junho de 2012

Três eleições


  1. Na Grécia, ganhou a direita pró-austeridade. É mesmo isso, e toda a esquerda deveria reflectir tanto na derrocada histórica do PASOK como na incapacidade do SYRIZA de mobilizar e vencer, contra a tróica, o austeritarismo e a Alemanha de Merkel e Westerwelle (e é dos gregos que falamos!). Falar em «grande vitória» neste contexto é absurdo. Pior ainda é o lunático comunicado do PCP (que esconde o pior resultado do KKE desde... 1932, numa situação que chegou a ser descrita como «pré-revolucionária» por alguns irrecuperáveis obcecados com 1917).
  2. No Egipto, o pior de dois mundos: o candidato islamista venceu a eleição presidencial, e os militares parecem querer recuperar o poder. Entre uma ditadura dos militares e uma «democracia» dominada por  islamistas, os democratas laicos são afinal uma pequena minoria.
  3. Melhor notícia da noite, e talvez a mais importante para os próximos meses em Portugal: em França, os socialistas terão maioria no Parlamento, depois de Hollande ter sido eleito Presidente. O PSF é o mais à esquerda dos partidos socialistas europeus. Merkel hoje deita-se mal disposta, apesar da Grécia. François Hollande é a verdadeira esperança da esquerda europeia para os próximos meses...