terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

De como os media, correndo atrás de uma moda, passaram, numa semana, do verdadeiramente extraordinário ao completamente banal

  1. «Mulher esteve morta em casa durante nove anos» (Rinchoa, Sintra, notícia de 9/2)
  2. «Um homem que estaria morto há três meses foi encontrado pelas autoridades na sua habitação» (Cantanhede, notícia de 12/2)
  3. «O ex-agente da PSP Ernesto Henriques, de 68 anos, esteve morto em casa durante 10 dias» (Amadora, notícia de 14/2)
  4. «Um homem de 67 anos que estava morto há uma semana no seu apartamento (...) foi (...) encontrado, após os vizinhos terem estranhado a sua ausência» (Ourém, notícia de 14/2)
  5. «O vizinho, que tinha as chaves de casa do idoso, afirmou que o idoso não era visto há alguns dias» (S. Mamede de Infesta, Matosinhos, notícia de 14/2)
  6. «O alerta foi dado pelo senhorio que estranhou não ver o homem (...) há cerca de dois dias (...) a GNR diz (...) que o homem deveria estar morto "há um ou dois dias"» (Laranjeiro, Faro, notícia de 14/2)
Sugestão para o jornal de amanhã: «vizinho encontrou idoso, morto e sozinho em casa, quando lhe bateu à porta para lhe devolver o troco de uma moeda que o falecido lhe tinha emprestado para ir ao café, dez minutos antes».

    Sem comentários :

    Enviar um comentário

    As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.