quarta-feira, 9 de junho de 2010

Regresso a Israel

Não sei se fui compreendido: o problema principal de Israel, no momento presente, é ser um Estado que existe para proteger uma religião e não todos os seus cidadãos, independentemente das suas convicções religiosas. Enquanto continuar a tratar uma parte da população como párias, Israel dificilmente terá paz. Não se pode ser simultaneamente uma democracia laica e um Estado judeu (ou católico, ou muçulmano...). A própria administração Obama já o terá compreendido.
A continuação da altercação no parlamento israelita (no dia 2 de junho) está no vídeo de baixo (via Blasfémias). A primeira parte foi divulgada aqui.

Quando nem sequer uma deputada pode falar, imagina-se como será no resto da sociedade?