quarta-feira, 23 de junho de 2010

Ciência e Jornalismo, um exemplo de uma relação complicada



Eis uma das razões pelas quais o debate público sobre este assunto é tão primário: a vontade dos jornalistas em simplificar e «sensacionalizar» as histórias a que têm acesso, mais ainda quando se trata de temas na área das ciências naturais.

O filme «O dia depois de Amanhã» ao menos assume-se como ficção, mas as peças jornalísticas que focaram este tema não foram muito mais rigorosas. Agora os jornalistas denunciam as suas próprias asneiras atribuindo-as a cientistas que nelas nunca incorreram.

Depois, são eles, os cientistas, que acabam acusados de sensacionalismo.

4 comentários :

Anónimo disse...

Fora a sede de sensacionalismo, eis outra razão: os jornalistas são profundamente ignorantes. Em vários campos. Sabem tratar a informação, mas é frequente não fazerem a menor ideia do que estão a dizer.

É muito frequente os jornalistas revelarem uma grave ignorância em ciência e tecnologia, mas também em política e economia - senão, saberiam conduzir muito melhor as suas entrevistas e preparar os seus textos. Claro que há entrevistas combinadas e honrosas excepções de jornalistas capazes e cultos, e também meios especializados... Mas em traços gerais, é essa a ideia que tenho, que vejo confirmada com frequência.

A título de piada, aqui fica uma sátira de como a Ciência é maltratada nos media.

roskoff disse...

nisso, são como alguns bloggers,
todos os trends, são de longo prazo,
vê-se um vídeo e posta-se como verdades absolutas, ninguém sabe se são mitos ou não, é esperar uns 500 anos
chedurph

roskoff disse...

e se pensassem no cold event de Fevereiro de 2010, uma anomalia secular?
ou repetir-se-à nos próximos anos?
as reservas de combustível para aquecimento esgotaram-se em 2 semanas.
Foi deixa ver, há 4 meses,pois

João Vasco disse...

roskoff:

Se tem uma ideia a transmitir aconselho que repense a forma como o faz, apenas por motivos de eficácia.

Eu não compreendi ao certo a ideia que pretendeu transmitir nos seus dois comentários, e julgo que não terei sido o único...