quarta-feira, 22 de setembro de 2010

PSD contra PSD

Não tenho uma incondicional simpatia por todas as instituições e costumes políticos do Reino Unido. Mas  é impossível não reconhecer vantagens ao costume de os líderes partidários serem necessariamente deputados ao parlamento (o líder tory é até eleito pelos deputados conservadores), quando se vê o grupo parlamentar do PSD a ser obrigado, nitidamente a contra-gosto, a aceitar «propôr» uma revisão constitucional que lhe é imposta por uma facção extra-parlamentar. Não foi para apresentar aquele projecto de revisão constitucional que aqueles deputados foram eleitos. E ao apresentá-lo, estão a representar muito mais a actual direcção do PSD do que o eleitorado que os elegeu.

2 comentários :

  1. "Não foi para apresentar aquele projecto de revisão constitucional que aqueles deputados foram eleitos"

    Nem estes, nem nenhuns. Simplesmente, a haver revisão, cabe-lhes a eles, deputados da nação fazerem-no. Podem não o fazer.

    Por isso é que o cargo de deputado devia ser pago com senhas de presença que cobrissem os custos do estacionamento e não com tais mordomias que os fazem representar quem lhas garanta.

    ResponderEliminar
  2. Pois é...e tal culto do chefe que faz lembrar os três efes.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.