sexta-feira, 11 de maio de 2007

Revista de blogues (11/5/2007)

  1. «"Lustração”: eis uma palavra que remonta às antigas cerimónias de purificação romanas e que agora foi adaptada, na Polónia, à perseguição e exposição pública de antigos membros do partido comunista e presumidos ou reais colaboradores dos serviços secretos do antigo regime. No passado mês de Março, o governo polaco de extrema-direita lançou a chamada “Lei da Lustração”, segundo a qual 700 mil profissionais liberais, entre os quais jornalistas, professores e advogados nascidos antes de 1972 são obrigados a assinar um documento declarando que nunca colaboraram com o regime, sob pena de despedimento ou interdição profissional. (...) Devidamente preenchidos, os questionários são em seguida enviados para o Instituto de Memória Nacional que, na posse de mais de um milhão de ficheiros pessoais, verificará as “declarações de inocência” e emitirá, caso se confirme a não colaboração, um certificado de “pureza política”. (...) Para além desta perseguição, o governo polaco encetou outra, desta feita contra a homossexualidade e aquilo que classifica de “desvios sexuais”. (...)» («A nova Europa», no Arrastão.)
  2. «Por vezes tenho a noção que a maior parte da blogosfera "liberal" em Portugal não tem a mínima noção do que é o liberalismo, não apenas no sentido teórico da palavra, mas no sentido real, em que é praticado no mundo. Fecham-se em questões teóricas, prendem-se a utopias não muito diferentes do comunismo que tanto detestam, misturam liberalismo com conservadorismo, ignoram o que é o liberalismo real praticado nos outros países e preferem o típico queixume do Português a fazer algo para mudar o país, mesmo no sentido em que acreditam. (...) Gosto muito de teoria. Mas, existe uma altura em que se tem que passar da teoria à prática. E o mundo real não é propriamente dado ao liberalismo "puro" como é visto por alguns na blogosfera. (...) Enquanto ainda existem alguns países fortemente inspirados na ideologia comunista por esse mundo fora, eu, não conheço um único país no mundo que na actualidade seja um país minimamente fiel ao ideário "liberal" defendido pelos nossos "liberais". Pode ser que seja ignorante, mas não o conheço. Aliás, não conheço nenhum partido sequer que defenda uma sociedade assim. (...) Liberalismo e Conservadorismo são a antítese em quase tudo. Nem na economia se podem dizer semelhantes, pois Liberalismo defende liberdade e Conservadorismo quer conservar o status quo que existe e é corporativista. Entre um Liberal e um Bloquista e um Liberal e um Conservador a distância não é propriamente muito diferente. Mas muitos "liberais", dado confundirem Liberalismo com economia de mercado e propriedade privada, esquecendo tudo o resto, aceitam de bom grado no seu seio Conservadores que efectivamente não são liberais.» («Sobre o Liberalismo em Portugal», no Blogue Liberal Social.)

12 comentários :

tiago disse...

Por cá a caça é ao fascista... noutras latitudes outras presas.

Anónimo disse...

Q me revolta é a vista grossa da midia "livre direitista"!
Quando a Polonia era comunista, a igreja e seus afilhados eram simbolos da liberdade e democracia.. agora q tão no poder, Ninguem fala mais nada!!
Paises que são alvejados por essa midia são Cuba,China, Vietnam...
Garanto que esses paises acabassem no nivel da Polonia... ninguem os taxaria de "tiranos".

Ricardo Alves disse...

Senhor «Tiago»: há algum ficheiro de ex-informadores da PIDE mantidos pelo actual governo? O Ministério da Administração Interna português emite certificados de «bom comportamento político»? Existe alguém impedido de ter emprego por ter pertencido ao aparelho repressivo do Estado Novo?

Aprenda a ler e verá que emite menos disparates...

tiago disse...

Ainda agora lia que um certo dirigente politico (fascista claro- PNR) foi despromovido lá na escola onde ensina. Não por ter ser mau docente (palavras do dirigente da escola). Mas por ser dirigente do PNR.

Se algo algo de similar acontecesse com alguém da tua área politica... Já todos sabemos que era o fim de das instituições livres... mas como é facho, até é bem feito... certo?!

Como referi e aparentemente causa tanta celeuma neste teu espaço, foi simplesmente dizer o obvio. Eles na Polónia tiveram um sistema repressivo (palavra benevola, para não ofender sua EXCL.) e hoje passados alguns anos querem designar culpados pelo que passaram.

Para ti um pais que foi ocupado a meias com Hitler, cujas lideranças politicas, economicas, culturais foram sistematicamente aniquiladas (mortos e para os "sortudos" deportações para gulags).

Cuja liderança politica pós guerra calou e pactuou com o invasor sovietico.

Deve agora por castidade (ou castração) cristâ perdoar todos aqueles que de uma forma ou outra pactuaram com tal regime.

Se é justo ou não as medidas que se estão a propor ou não... não sei (porque simplesmente não conheço). Mas sei que todos os estados e povos têm o direito a tentar reconciliar se com a sua história. Nós fizemos o mesmo!

Ricardo Alves disse...

Senhor anónimo que usa o nome «tiago»,

não faça suposições sobre o que eu penso ou deixo de pensar. Em primeiro lugar, é desagradável. E em segundo lugar, arrisca-se continuamente a errar.

Por exemplo:

«Eles na Polónia tiveram um sistema repressivo (palavra benevola, para não ofender sua EXCL.) (...) Para ti um pais que foi ocupado a meias com Hitler (...) Deve agora por castidade (ou castração) cristâ perdoar todos aqueles que de uma forma ou outra pactuaram com tal regime.»

Eu não disse que deviam perdoar a todos os que fizeram parte do anterior regime. Isso é invenção da sua cabecinha. O senhor «tiago» anónimo faça lá uma contitas: 2007-1989=18 anos. Dezoito aninhos que eles já tiveram para resolver o passivo da ditadura comunista. E agora, ao fim de dezoito anos, começam a fazer ficheiros de quem foi informador da polícia política e pode ou não ter empregos na função pública (e privada, que a lei abrange isso). O senhor «tiago» anónimo faça outra contita: 1974+18=1992. O senhor «tiago» anónimo imagina o bruá que seria se em 1992 Portugal tivesse começado a fazer listas de quem tinha sido informador da PIDE e a dar certificados de bom comportamento político a quem não tivesse sido?

O "anónimo" tiago disse...

Mas não resolveram... tanto não o fizeram que hoje estão a rectificar essa lacuna.

Existem vários paises que o fizeram e Portugal ao contrário da sua memoria selectiva continuam a faze-lo. Quando se apelidam certas pessoas e organizações de fascistas que tipo de comparação estão a criar? Quando boa parte da comunicação social parece saida duma convenção bloquista (não estamos a pagar pelos anos de ditadura)??
Já para não falar dos mimos socialistas existentes ainda hoje pela nossa constituição (aliás o "caminho para o socialismo" foi resolvido mais ou menos pelos anos 90).
Criminosos (FP 25, governantes, Camarate) que foram amnistiados por medo de haver medo de retaliações (ou procuradores indulgentes)... mas isso obviamente não interessa.

Talvez o que a Africa do Sul fez no pós aparhteid não seja assim tão má ideia...

Ricardo Alves disse...

«Mas não resolveram... tanto não o fizeram que hoje estão a rectificar essa lacuna.»

Senhor «Tiago» que gosta de permanecer (cobardemente) anónimo, na Polónia perseguiram-se os esbirros da polícia política com muito mais dedicação e zelo do que em Portugal. E olhe que o regime polaco, nos seus últimos dez anos, não era particularmente repressivo.

«Quando se apelidam certas pessoas e organizações de fascistas que tipo de comparação estão a criar?»

Não sei a que pessoas ou organizações se refere. As comparações podem ser justas, por exemplo no caso do seu querido PNR, que é um partido fascista.

«Quando boa parte da comunicação social parece saida duma convenção bloquista (...)??»

É isso mesmo. A Manuela Moura Guedes é uma bloquista, a Maria Elisa idem, a Margarida Marante é do PCP, o Pinto Balsemão e o Pais Amaral são ambos do PS, o José Eduardo Moniz é de extrema-esquerda, e assim se vêm quem domina a comunicação social em Portugal, não é?

«Já para não falar dos mimos socialistas existentes ainda hoje pela nossa constituição»

Constituição que já foi revista quase uma dezena de vezes para tirar de lá o «socialismo» que tanto vos incomodava. Parece que ainda não estão satisfeitos. Falta o quê? Tirar de lá a separação entre Estado e igrejas? Retirar o voto secreto e directp, como queria o Incrível Rui do Blasfémias aqui há um ano?

«Criminosos (FP 25, governantes, Camarate) que foram amnistiados»

Se acha que Camarate foi crime, apresente provas na esquadra mais próxima. Se é uma questão de fé, faz-me rir. Quanto aos tipos das FP´s, passaram muitos mais anos na cadeia do que os indultados do MDLP e do ELP, de que o sr. nunca fala, e que mataram várias pessoas.

Tiago o anónimo disse...

"E olhe que o regime polaco, nos seus últimos dez anos não era particularmente represivo."

Não sei qual a escala de sofrimento humano que o Ricardo usou, mas se tivessemos descido uns posts abaixo (sobre a rua do carmo). Em que voçê afirmava que se tratava duma brutal carga policial!

Usando a mesma escala os mortos e os torturados do solideriedade ficam como?!

E como convém, nem vale a pena falar de anos anteriores... os tais anos em que judeos que tinham ficado na zona de ocupação sovietica (da polónia) preferiram fugir para a zona nazi.

Os tais anos em que massacres que visavam destruir a sociedade polaca, foram no pós guerra atribuidos aos nazis. De tal maneira que a incursão nazi pela polónia (já de si bastante brutal) foi obliterada (em devastação)pela ocupação sovietica.

Na mente do ricardo só devemos ver os últimos anos... dizem foram mais simpáticos.

Ricardo Alves disse...

Anónimo «tiago»(?) cobardola,
o regime polaco dos anos 80 não é comparável com o regime português actual. Que acha que sejam comparáveis não abona em favor da sua inteligência (quanto à sua iletracia, já estamos conversados...).

tiago anónino cobardola disse...

Poís não é... comparar uma democracia com uma ditadura não é comparavel...

Não explica o essencial... os crimes sovieticos e comunistas não foram julgados!! O ricardo preferiria que continuassem assim!!!

Ricardo Alves disse...

«os crimes sovieticos e comunistas não foram julgados»

A sua ignorância histórica é lastimável. Foram julgados, sim. Ao contrário dos crimes dos seus amigos salazaristas...

tiago disse...

Viu- se... felismente a polónia não gira á volta do seu umbigo!

Quanto aos meus amigos... os meus preconceitos afinal não são assim tão descabidos em relação a si... quem não pensa como o seu umbigo... claro só pode ser facho!!

Bela maneira de pensar Ricardo...