segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A lição da bolinha de papel

Também me congratulo por a eleição presidencial brasileira ter sido disputada entre dois combatentes da ditadura. E também fico satisfeito pela vitória de Dilma Rousseff, mesmo se receio que ela não passe de um fantoche de Lula (o tempo o dirá). Interna e externamente o governo de Lula foi muito positivo para o Brasil, que deve continuar pelo mesmo caminho de redução de pobreza.
Embora nunca tenha duvidado da vitória de Dilma, considero que Serra perdeu definitivamente a eleição quando foi supostamente agredido (ou pelo menos violentado) em campanha. Embora condene esses procedimentos sem tibiezas, a verdade é que o incidente não se pode comparar com o de Silvio Berlusconi o ano passado ou mesmo o de Mário Soares há 25 anos. Ter feito uma tomografia por ter levado com uma bola ou um rolo de papel na cabeça, como fez José Serra, é de quem estava desesperado e queria criar um caso. Não é de um político sério.

4 comentários :

Jah Tah A Akbar disse...

é pequenino...um político sério
vai para o desespero dos salários em atraso e situações das quais era responsável
e espera ser agredido
tal como tentou repetir há uns anos
levar uma chapada merecida

ou com uma estatueta nos dentes tem alguma diferença

mas tornar o corpo de um político sacrossanto só por ser político

e ter tal como Cavaco supostamente salvo a nação de si próprio

se um tal de Filipe Moura andar em transportes públicos e lhe tirarem a carteira obviamente aperta a mão ao perpretador

se lhe tirarem os meios de sustento
gritará ladrão, mas não tentará agredir aquele que ganha à custa da sua miséria, que faz uma almoçarada nas Caldas da Rainha
que custou mais dinheiro que os salários em atraso numa vidreira na Marinha Grande

grita ladrões, mas não se compromete fisicamente pois
arrisca-se...há pessoas assim e pessoas que pensavam que mudariam algo

reduzir a vida das pessoas a jogos partidários

é....

Jah Tah A Akbar disse...

Faz hoje 255 anos que se reduziu a vida das pessoas a jogos de poder

Houve os que tinham direito a comer, direito a passar fome e direito a morrer

Quando se grita ladrões, geralmente grita-se aos ladrões que estão ao nosso nível

E há quem grite mas não se compromete fisicamente pois arrisca-se...

Os pequenos ladrões por vezes defendem-se

Os grandes não necessitam, estão protegidos pela sua dimensão

Pisou a bandeira do país? (um trapo miserável)e com a bandeira engoliu os recursos?

O grande diz que estava à espera que alguém o acusasse disso para o processar

O pequeno nega

O grande diz que antes deles roubavam a nação e ninguém poderia dizer nada

E que agora podemos dizer que nos roubaram a nação

Mas de que serve a liberdade de o dizer se já não temos nação

Ricardo Alves disse...

De qualquer modo, a mulher mais poderosa do mundo. Um grande vitória para a esquerda brasileira, depois da presidência exemplar de Lula.

mikael ar canjas disse...

Não exageremos, a reforma agrária ficou na gaveta, as cooperativas dos sem terra continuam sem dotações, enquanto plantações estatais esbanjam milhões de reais em caddilac's e helicópteros

O mensalão e os cartões dourados fizeram morrer de vergonha os boys
do Collor de Mello

A esquerda brasileira já a nível estadual era tão rapinante como a direita
Quando passou a nacional....

Bom não vos ofendo mais gente de fé
a mulher mais poderosa não era a
Obama girl?
Ou a rainha da....
este mundo é um matriocracia