segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A lição da bolinha de papel

Também me congratulo por a eleição presidencial brasileira ter sido disputada entre dois combatentes da ditadura. E também fico satisfeito pela vitória de Dilma Rousseff, mesmo se receio que ela não passe de um fantoche de Lula (o tempo o dirá). Interna e externamente o governo de Lula foi muito positivo para o Brasil, que deve continuar pelo mesmo caminho de redução de pobreza.
Embora nunca tenha duvidado da vitória de Dilma, considero que Serra perdeu definitivamente a eleição quando foi supostamente agredido (ou pelo menos violentado) em campanha. Embora condene esses procedimentos sem tibiezas, a verdade é que o incidente não se pode comparar com o de Silvio Berlusconi o ano passado ou mesmo o de Mário Soares há 25 anos. Ter feito uma tomografia por ter levado com uma bola ou um rolo de papel na cabeça, como fez José Serra, é de quem estava desesperado e queria criar um caso. Não é de um político sério.