terça-feira, 11 de setembro de 2007

Negação das diferenças biológicas?

  • «É rara a semana em que uma revista ou jornal não tenha um artigo ou reportagem sobre os mais variados assuntos mas cuja tese e objectivo são sempre os mesmos: demonstrar que há uma diferença radical e essencial entre homens e mulheres (sobre as diferenças entre pessoas de olhos azuis e verdes nada aparece, nem sobre as diferenças entre mulheres ricas e pobres, por exemplo). (...) se essa diferença essencial e radical (...) é assim tão... essencial e radical, para quê uma campanha tão empenhada?» (Miguel Vale de Almeida)

Não é apenas à direita que se encontram concepções ideologicamente motivadas da natureza humana. O exemplo destacado acima coloca a diferença entre homens e mulheres ao nível da diferença na cor dos olhos (como se a diferença entre o pénis e a vagina fosse funcionalmente equivalente à diferença entre olhos azuis e olhos verdes), e das diferenças de classe social (como se os processos de mudança de sexo fossem comparáveis à ascensão social). Gostaria de saber como se explica então a divisão de género da violência sexual ou a predominância masculina no homicídio?

6 comentários :

Anónimo disse...

..... Miudas muito giras aqui ;-)

www.pnet.pt

João Moutinho disse...

Somos diferentes uns dos outros mas todos criados "à imagem de Deus", segundo creio.

Anónimo disse...

Que chorrilho de disparates! É sempre bom distorcer a verdade quando ela não interessa, não é? Que vergonha! E o que fizeram os chineses aos tibetanos????? Deram-lhes beijinhos??? E a liberdade?? Agora já não interessa?! Tenham vergonha"!

Ricardo Alves disse...

É verdade, os chineses oprimem os tibetanos. Massacraram parte da população, torturam e negam as liberdades fundamentais. Mas não deixa de ser verdade que o Tibete budista era uma teocracia opressiva.

Anónimo disse...

Um crime jamais justifica outro. Seja à posterior ou anteriori.
O Ricardo Alves, quanto a mim, tem razão.

mva disse...

"Resposta" no meu blog. Um abraço :)

mva