quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Em frente, para trás!

Há um certo conceito de Estado, que se julgava enterrado nos tempos medievais, que faz o seu caminho com este governo. É menos do que o Estado mínimo, é um Estado que apenas retém as funções pré-iluministas de polícia, exército, espionagem e «justiça» (mas só para a plebe). Que gasta dinheiro em vigilância, mas não em saúde e educação. Que aumenta em 10% polícias ao mesmo tempo que anuncia o fim do Estado social. E quando o povo se revoltar... haverá a polícia privada dos senhores feudais, ao redor dos seus condomínios privados...

2 comentários :

  1. De acordo genericamente, exceto na parte de aumentar os polícias. Os polícias trabalham em condições absolutamente humilhantes e têm funções de altíssimas responsabilidades. Se queremos exigir mais dos polícias (e eu sou a favor de que se exija!), também temos de lhes dar melhores condições de trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filipe, mas num momento em que se baixam salários a enfermeiros e se despedem professores, aumentou-se em 10% as polícias... Isto tem uma clara leitura política.

      Eliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.