sexta-feira, 2 de março de 2012

Opções homicidas?

«O presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública considera que o impacto de algumas medidas políticas na área da Saúde poderão também ter contribuído para uma taxa de mortalidade acima da média, avança a TSF

Se em vez de recrutar 4000 militares, ou abdicar das Golden Shares a custo zero, vender a EDP e o BPN aos amiguinhos, ou tantas outras escolhas que tais, não se fizessem cortes absurdos na saúde, algumas vidas teriam sido salvas.
Será excessivo chamar «homicidas» a estas opções?


1 comentário :

  1. não poderiam ter sido prolongadas

    porque dois idosos ligados a um pulmão artificial há 2 anos...dificilmente teriam sobrevivido mais dois mesmo que as visitas não tivessem trazido sindromes gripais que os mataram

    a overdose medicamentosa também mata

    medicamentos anti-colesterol em velhotas que já nem conseguem produzir o suficiente para produzir as suas membranas celulares

    só dão dinheiro a delegados de propaganda médica

    e cada vez dão menos

    tenho uma pessoa conhecida que impingia 500 caixas de cardiol por semana

    agora os genéricos e a competição tiraram-lhe 80% das vendas

    felizmente tamém vende inibidores de divisão celular para manter pacientes terminais em quimioterapia mais uns meses

    dantes um cancro terminal da pulmonaria levava a uma agonia breve de 10 ou 12 dias

    felixmente hoje conseguimos 150 dias de sobrevida ou de morte cerebral assistida

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.