sexta-feira, 23 de março de 2012

Algumas respostas

Jornalistas protestam contra agressões em frente à PSP

Destaco a resposta da PSP:
«A PSP tem feito com a antecedência necessária diversos apelos aos órgãos de comunicação social (OCS) e a outros intervenientes que estão directamente envolvidos nestes cenários por força das suas funções, para a necessidade de se identificarem, colocando-se sempre do lado da barreira policial que os separa dos manifestantes em geral».
Pois, isso seria realmente muito conveniente...


Marinho Pinto acusa a polícia de "continuar com tiques da ditadura"

Concordo, em particular com o seguinte:
«"Agredir jornalistas que não cometeram nenhum ato de violência revela o atraso que temos na nossa democracia, que é muito grande ainda o caminho a percorrer", disse, sublinhando que, "as greves gerais em Portugal têm sido "marcadas pela atuação negativa dos polícias".
O bastonário sustenta que "a polícia não pode ser um elemento de perturbação pública, nem pode tratar todas as pessoas como se fossem criminosas, tem limites para a sua atividade e tem que respeitá-los, não pode fazer o que quer".»