segunda-feira, 5 de março de 2012

Prefiro o sistema actual

  • «A pergunta que lanço aos cidadãos que sofrem as consequências de tais "ilegalidades" é se preferem o sistema que existe ou se não se importam de abdicar de parte da sua privacidade em favor de processos como câmaras ocultas e escutas várias, que permitem desmantelar os perigosos sistemas do crime organizado, que toma hoje no mundo proporções astronómicas.» (Manuel Mota no Público)
A resposta é que prefiro o sistema actual, acrescido de uma política de tolerância zero perante as escutas telefónicas sem mandado judicial. E as câmaras ocultas, ele que as meta no quarto dele e na casa de banho dos filhos.