segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Porque por vezes é difícil discutir economia em Portugal

Através desta crónica de António Peres Metello descobri esta notícia maravilhosa, Portugueses valorizam Estado social, mas não querem pagá-lo. E o conteúdo da notícia, baseada num inquérito europeu, é mais profundo do que o título possa transparecer. Claro que todos gostaríamos de ter mais direitos e menos deveres, ou seja aquele título deve aplicar-se a todos os povos do mundo. O que o estudo diz é mais que isso, diz que nós valorizamos o Estado Social mais que os restantes, mas estamos menos dispostos a contribuir que os outros.
Claro que eu adoraria que a reforma fosse possível aos 60 anos e outros sonhos, o problema é que o que sai do Estado tem que entrar no Estado. Por outras palavras, o Estado somos nós. Como diz Peres Metello há um curto-circuito na cabeça das pessoas quando isto é invocado. Ou como disse uma vez Luís Grave Rodrigues, há entre nós quem defenda que deve ser o Estado, e não as pessoas, a pagar por X ou Y. Assim, não se pode discutir.

Notinha extra que eu já sei que vou ser mal interpretado: não estou a defender o emagrecimento do Estado, aliás defendo que ele tenha mais funções do que as que tem actualmente.

4 comentários :

  1. Extrema falta de empatia social de uma sociedade onde se desconfia de tudo e de todos. Se não como explicaríamos este ditado popular: "quando a esmola é grande o pobre desconfia"?

    ResponderEliminar
  2. Os portugueses são dos povos que mais se encostam ao Estado. Esperam tudo do Estado.

    Mas ao mesmo tempo querem fugir aos impostos.

    ResponderEliminar
  3. Desculpe, disse uma crónica de quem ? António Peres Metelllo? Este senhor é economista ou assessor do Pinóquio? Deixa-me rir, o credível, objectivo e imparcialícimo António Peres Metello! Que tal citar directamente Sócrates. Poupemos os intermediários medíocres.

    ResponderEliminar
  4. Caro Bloco Esquerda,
    como sabe escrever, presumo que também sabe ler.
    Releia lá o que está escrito: ouvi a crónica na TSF, mas o estudo não é do dito cujo. Aliás, o link até é da TVI.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.