sexta-feira, 11 de março de 2011

Eu não gosto nada da canção dos Deolinda (mas é claro que vou à manif à mesma) (I)

Que parva que eu sou
Filhos, maridos, estou sempre a adiar
e ainda me falta o carro pagar
Eu tenho confiança no futuro, e esperança em que, daqui a umas décadas, quando se ler esta letra, se dirá, sem ironia: “Sim, és mesmo parva!” Uma geração onde alguém afirma que se quer casar e ter filhos mas que não o faz porque se queixa de precariedade e baixos salários, mas cuja prioridade é ter um carro é uma geração parva e mimada. O retrato dos seus pais.