sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Qual era a alternativa?

Eu sei, o Estado vai vender por 180 milhões um banco que já custou 4 mil milhões de prejuízos assumidos pelo Estado (ou seja, pelos contribuintes). Mas, o que eu gostaria que o BE e o PCP me explicassem é, muito simplesmente, qual era a alternativa (neste momento)?

4 comentários :

  1. Concordo que não há alternativa. mas era importante prenderem os gangsters que causaram os prejuizos. Em nome da decência mais elementar. em vez de lhes darem uma palmada na mão e uma multa de uma semana de salário, ou coisa que o valha.

    ResponderEliminar
  2. Ainda não consegui compreender os números que não são claros em sítio algum.

    O Diário Económico tem por exemplo esta frase
    "Mesmo reescalonado o prazo para a recuperação e cristalização dos activos que passam para o Estado, nada garante que estes gerem ‘cash' suficiente para pagar as responsabilidades, nomeadamente à CGD."
    que dá a entender que a diferença entre proveitos e custos até pode ser positiva.

    ResponderEliminar
  3. Neste momento poderiam perguntar ao Teixeira do Santos porque é que o Oliveira e Costa está preso por destruir 600 mios de euros do balanço do BPN quando ele destruiu 4 bis do balanço da CGD com uma nacionalização que toda a gente contestou, incluindo os accionistas que quiseram recuperar o banco usando apenas as garantias que o estado deu a todos os bancos.
    Agora, realmente, não há nada a fazer...

    ResponderEliminar
  4. No Twitter, houve quem me dissesse que a alternativa seria manter o BPN na CGD. É verdade que sempre permitiria rentabilizar o activo...

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.