sexta-feira, 4 de novembro de 2011

O silêncio dos carneiros

Anteontem à noite, Papandreou levou um par de estalos de Merkel. Sarkozy apanhou-o de costas e deu-lhe um calduço. Logo a seguir, um grupo de tipos com ar de banqueiros empurraram-no para a casa de banho e meteram-lhe a cabeça debaixo da torneira. Ao chegar a casa, Papandreou viu um grupo de generais ao fundo da rua, fardados e armados.

Ontem, borregou.

E António José Seguro?
Foi tudo bastante mais simples.