sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Os Antónios Ribeiros Ferreiras

Na semana passada estava a falar aqui com um destes membros da direita religiosa e a explicar-lhe que foram os sindicatos que criaram a família, essa instituição que a direita gosta tanto de invocar, ao lutarem pela abolição do trabalho infantil - contra a Igreja Católica! - e pela limitação das horas de trabalho diárias, e por salários decentes. E que foram os sindicatos que lutaram pelo direito à educação universal. E que foram os sindicatos que lutaram pela implementação de medidas de segurança nas minas e nas fábricas, onde os acidentes de trabalho destruíam famílias inteiras.

Sem os sindicatos a Europa ainda vivia na miséria abjecta dos livros do Dickens.

Não faço ideia quem seja o autor deste panfleto idiota - nunca li o Correio da Manhã, que considero um pasquim repugnante - mas acho que os imbecis que escrevem estas coisas, a quererem partir espinhas, deviam ser obrigatoriamente organizados em milícias e mandados à muralha do Porto de Lisboa a partirem a espinha aos sindicalistas. Se forem capazes. Isso é que era patriotismo. Escrever incitações ao ódio nos jornais parece-me de uma cobardia que pede bengaladas no Rossio.