segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Homossexualidade

Nunca na minha vida pensei que a homossexualidade fosse uma coisa importante, mas a viver entre os aborígenes do Texas, geralmente fundamentalistas cristãos com (muito) poucas ideias, levo com esta obsessão deles em cima todos os dias.

Hoje estava a ler o Monde e verifico que não é só aqui que os rurais passam a vida a meter o nariz na vida dos outros e a querer-lhes impor pontos de vista pessoais e subjectivos, muitas vezes idiotas e cruéis, como é tantas vezes o caso quando se mete a religião no assunto.

Mas é verdade: sempre do lado errado dos problemas, a igreja católica francesa publicou um livro com o título "Gender, la controversie," como resposta a uma iniciativa do governo francês que tenta mitigar os preconceitos dos jovens na escola.

"Nous avons constaté que nombre d'enseignants étaient démunis face à ces questions, explique Mgr d'Ornellas, par ailleurs spécialiste des questions de bioéthique. Il s'agit de faire en sorte que cette partie du programme soit respectueuse de la dignité de personnes, en l'occurrence des jeunes en construction, c'est-à-dire vulnérables.""Ce n'est pas la même chose d'ouvrir un enseignement sur les "gender studies" à Sciences Po pour des étudiants de plus de 20 ans (ce que fait l'Institut d'études politiques cette rentrée) et d'aborder ces sujets avec des adolescents qui n'ont pas la même maturité humaine et psychologique", précise aussi Jean Matos, chargé d'animer le groupe de travail.

O ódio aos homossexuais aqui nos EUA faz com que haja entre três a sete vezes mais suicídios entre este grupo que no resto das pessoas. Na Europa não sei, mas como os europeus são menos religiosos, espero que a realidade seja menos trágica.

Em todo o caso, era bom que os políticos começassem a meter estes energúmenos na ordem e a chamar a atenção da sociedade quando os religiosos incitam a sociedade ao ódio e à segregação.