segunda-feira, 22 de outubro de 2012

O SIS e a lavagem de dinheiro

Bom, vou tentar não dizer mal do SIS. Sim, é público há mais de um ano que um espião do SIS trabalhava para o IRA «Verdadeiro». Sim, também é verdade que em qualquer outro país do mundo democrático isso seria um escândalo enorme. Sim, agora vêm-nos dizer que o mesmo indivíduo fazia parte de uma rede de lavagem de dinheiro na qual envolveu um espião da Mossad seu conhecido. Sim, deve ser tudo verdade. E sim, nos EUA ou no Reino Unido ou em França ou na Alemanha haveria cabeças a rolar (administrativamente falando...) por muito menos do que isto.

Mas pronto: é só um caso isolado. Os outros são todos puros e as chefias são impolutas, como o prova o «caso Silva Carvalho». E nem custam dinheiro algum ao governo, perdão, ao Estado. No fundo, no fundo, no fundo, isto foi só um caso de infiltração que correu mal. Este também era puro e angélico. E ainda deve receber tudo a que tem direito como funcionário público...

3 comentários :

  1. Este post faz tanto sentido como defender que a PSP deveria ser desmantelada porque um seu agente matou a mulher com a sua arma de serviço.
    O facto de um agente do SIS ter atividades criminosas, nas quais eventualmente até se terá servido de conhecimentos ou de meios adquiridos no SIS, não justifica que o SIS seja desmantelado.
    Pode quando muito justificar que se tenha mais cuidado na contratação ou no supervisionamento dos agentes do SIS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu defendo a extinção do SIS e do SIED por questões de princípio.

      Neste post, limitei-me a citar um caso concreto que ilustra que género de gente anda por ali.

      Eliminar
    2. Quanto ao «quando muito», parece-me que o Luís Lavoura está a ser pouco exigente com o Estado.

      Eliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.