terça-feira, 21 de junho de 2011

A social-democracia europeia rompe o bloqueio

Numa tomada de posição conjunta, o PS francês e o SPD alemão declaram que os resgates de dívida «tratam os sintomas mas não as causas», e defendem um «governo económico europeu democraticamente legitimado». Avançam como reivindicação central a «taxa Tobin» aplicada às transacções financeiras. Também sugerem a emissão de títulos de dívida europeia; a regulação europeia das agências de notação ou agências de notação de direito público; objectivos comuns europeus em matérias educativas e sociais (!) e indexação dos salários mínimos nacionais ao rendimento médio.

Um documento curioso. Nenhum destes partidos está no poder. Mas terão que mudar para valer a pena que lá cheguem. E este é um passo no sentido certo.