terça-feira, 21 de junho de 2011

A social-democracia europeia rompe o bloqueio

Numa tomada de posição conjunta, o PS francês e o SPD alemão declaram que os resgates de dívida «tratam os sintomas mas não as causas», e defendem um «governo económico europeu democraticamente legitimado». Avançam como reivindicação central a «taxa Tobin» aplicada às transacções financeiras. Também sugerem a emissão de títulos de dívida europeia; a regulação europeia das agências de notação ou agências de notação de direito público; objectivos comuns europeus em matérias educativas e sociais (!) e indexação dos salários mínimos nacionais ao rendimento médio.

Um documento curioso. Nenhum destes partidos está no poder. Mas terão que mudar para valer a pena que lá cheguem. E este é um passo no sentido certo.

7 comentários :

  1. Será assim:
    http://eco.rue89.com/2011/06/21/ps-et-spd-pour-un-gouvernement-economique-europeen-210206

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pela chamada de atenção, Porfírio. Não tinha reparado que era um link «twitterfeed» qq coisa...

    ResponderEliminar
  3. Parece-me um primeiro passo importante.

    Ousar mais Europa é de facto o espírito que se pede nesta altura.

    ResponderEliminar
  4. provavelmente das melhores notícias, no que diz respeito à europa, em muito tempo... esperemos que o PS nacional se lhes junte tão breve quanto possível!

    ResponderEliminar
  5. Um bom primeiro passo da social-democracia europeia. Mas falta ainda suar muito (aos partidos do PSE) para construir uma voz suficientemente alternativa. Não desespero, não desespero - mas é preciso acelerar o passo. O medo de agir contra o "bom senso dos mercados" tem de ceder à ideia de acção concertada ao nível europeu para colocar as esquerdas a remar para outro lado que não o barrismo-merkelismo.
    Gostava era de ver as ideias dos candidatos a SG do PS sobre estas coisas...

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.