sexta-feira, 10 de junho de 2011

A esquerda bloqueada

Persistir em afirmar que os 10%-20% de cidadãos que votam à esquerda do PS são «imbecis», ou teimar que o PS apenas «se finge de esquerda», são atitudes com diferentes origens e razões que se coligam para reforçar o mesmo grande bloqueio de sempre: o que impede que os governos do PS sejam abertos à sua esquerda, que fiquem sujeitos a maiorias precárias, e que em autárquicas e presidenciais se permita que maiorias numéricas «de esquerda» não se traduzam em mandatos e efectiva governação.

Há na realidade duas saídas para o bloqueio que os últimos seis anos ilustraram: ou o BE se transforma num partido suficientemente flexível para assumir responsabilidades governamentais; ou o PS se dispõe a ocupar o espaço à sua esquerda. No debate em curso no BE e na luta pela liderança do PS saberemos se alguém está interessado em desbloquear a esquerda.