sábado, 28 de agosto de 2010

Lapidar

Há sempre um Renato Teixeira para nos abismar. Ao dizer-nos que protestar contra a chária e as lapidações (e sim, contra a República Islâmica do Irão) é «[embarcar] na campanha montada pelos interesses sionistas e norte-americanos», o Renato demonstra como está tão enterrado na areia do anti-americanismo que até já  uma comunista iraniana ele acusa de ser agente da CIA. Entre os comunistas iranianos no exílio, e os islamofascistas no poder em Teerão, escolhe os últimos. Lapidar.

Ao contrário do Renato, não me considero marxista-leninista. E não sei que tipo de regime o Partido Comunista dos Trabalhadores do Irão implantaria, no século 21, na ex-Pérsia, se para tal tivesse capacidade. Mas há vários anos que divulgo iniciativas  e textos saídos desta corrente da diáspora iraniana. Porque são solidamente laicistas, feministas e progressistas. E tenho mais confiança em comunistas que evoluíram e são laicistas do que nos islamofascistas no poder.