sexta-feira, 8 de junho de 2012

Fim de 42 colunas semanais

A minha última coluna no i saiu no dia 23 de Maio. Durante 42 semanas, escrevi sobre o que me parece evidente mas que sentia simultaneamente que ficava por dizer assertivamente na opinião publicada: que a União Europeia tem uma disfunção entre instituições democráticas impotentes e tecnocratas poderosos mas indiferentes aos cidadãos; que os portugueses não podem continuar observadores da UE, mas que devem ser protagonistas; que a austeridade tem castigado injustamente pensionistas e trabalhadores do privado, e poupado os poderes fácticos habituais; que olhar para o mundo laboral com o paradigma do funcionalismo público é um enviesamento grave; que a complacência perante os serviços secretos deve terminar; que os desentendimentos das esquerdas portuguesas desequilibram a República à direita; que o catolicismo tem uma influência política exagerada face ao seu real peso social; que Alberto João Jardim, se alguma vez teve piada, já não nos devia fazer rir. E que o mundo muda todos os dias.

Para encerrar, e em jeito de balanço, fica o «Top 10» das colunas que tiveram maior impacto nas redes sociais.
  1. «Um paradoxo agravado» (144 pontos).
  2. «Solstício» (140 pontos).
  3. «Um homem invulgarmente oco» (108 pontos).
  4. «Republicanos só de lapela» (95 pontos).
  5. «Geração SEF» (75 pontos).
  6. «E depois do empobrecimento?» (74 pontos).
  7. «Os gordos e os magros» (63 pontos).
  8. «República desequilibrada à direita» (46 pontos).
  9. «Orwell em Cuba» (40 pontos).
  10. «Obviamente» (40 pontos).
Enviar um comentário