quarta-feira, 6 de abril de 2011

Principal problema é dívida privada


As declarações do presidente do FMI são eloquentes: "o problema [de Portugal] não é tanto de dívida pública como de financiamento dos bancos e dívida privada". E confirmam algum alarmismo que surgiu na imprensa económica internacional em Novembro de 2010. Na altura foi publicado o gráfico acima, mas estranhamente manteve-se o silêncio sobre a nossa colossal dívida privada, 220% do PIB (ver abaixo, a nossa dívida pública não é das mais altas). O debate económico pautava-se pelo pensamento único, por homilias de comentadores muito comprometidos em que se culpava o Estado de tudo e, obviamente, os malandros do rendimento mínimo e os desempregados.
Espero que as declarações de Strauss-Kahn sirvam para que se comece a responsabilizar seriamente os excessos do sector privado, sobretudo o sector imobiliário e a banca. Um milhão de casas vazias em todo o país que representam muito dinheiro empatado em empréstimos inúteis e uma banca que não paga impostos como as outras empresas são anormalidades insustentáveis. Se a partir de 5 de Junho o novo governo não tiver coragem para combater este flagelo os 220% de dívida privada não irão desaparecer por passes de magia...