quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

O fim da picada

A América é o fim da picada e o Texas é a América ao quadrado.  Nós decidimos voltar para a Europa no fim deste verão, por uma série de razões, entre as quais a questão da educação dos nossos filhos, a completa ausência de senso comum e o empobrecimento rápido da classe média.  A miséria e o crime estão a avançar ao mesmo ritmo que as fortunas dos milionários se tornam cada vez mais obscenas. 

A maioria dos europeus que conheço não acredita que a América é um país sem senso comum, habitado por "know-nothings" e governado por gangsters, e há muito que deixei de me importar com isso, mas há quase 15 anos aqui, todas as semanas leio notícias inexplicáveis!  Há poucos anos o governador Rick Perry nomeou um grupo de talibans para o Board of Regents da minha universidade e um declarou imediatamente que era um escândalo que os professores só trabalhassem 6 horas por semana.  O ódio da direita aos professores universitários é proverbial.

A violência, a miséria, a ganância e a ignorância da maioria dos americanos são difíceis de descrever.  Só lendo os jornais regularmente e vendo as estatísticas dos problemas mentais é que se percebe que a maioria dos americanos vive num estado de exaltação permanente.  Um dia é uma mulher que vai pedir comida a um centro social, com dois filhos, negam-lhe cupões para comida e ela dá um tiro em cada filho e suicida-se em frente de toda a gente.  Uma das crianças não morreu.  Outro dia é o governador do Texas que anuncia que cortou os impostos aos mais ricos e agora tem de congelar os nossos salários.  No outro os jornais anunciam, triunfantes, que o Texas vai ter o maior centro criacionista dos EUA.  No outro um pastor declara que vai abrir mais um centro para curar a homossexualidade.  Depois é o Texas Board of Education que declara que "alguém tem de fazer frente aos especialistas" (biólogos, geólogos, astrónomos, paleontólogos) e explicar que a Arca de Noé foi um facto. 

Os governantes, claro, representam esta gente eloquentemente.  Um dia é mais outro senador que acha que o presidente Obama nasceu no Kénia, ou um congressista que diz que o mundo tem seis mil anos, ou um senador que o aquecimento global é uma invenção anti-patriótica, ou que os furacões são a vingança de Deus por não matarmos os homossexuais à pedrada, ou uma mulher que tem um filho com problemas mentais que gosta muito de disparar armas de assalto e a quem ela compra carregadores com 30 balas, com os quais ele um dia mata uma data de crianças...   e a reação dos texanos?  Declararam que vão armar os alunos da minha universidade