sexta-feira, 5 de abril de 2013

Relvas: as instituições que cumpriram (ou não) os seus deveres

  1. A Entidade Reguladora da Comunicação Social provou que Relvas mentiu, sabia que ele tinha acedido aos ficheiros SIS/SIED sobre a vida privada de jornalistas, e decidiu por votação partidariamente orientada não o condenar. A instituição liderada por Carlos Magno demonstrou que não protege os direitos dos cidadãos contra o governo, preferindo servir o poder político do momento.
  2. A Inspecção Geral da Educação e Ciência propôs a «nulidade do ato de avaliação» de um aluno de 2006 que em 2013 é ministro, com razões fundamentadas, implicando a «declaração de nulidade do grau». Cumpriu, mesmo estando na dependência directa do ministério. Serviu a Universidade.
Acontece que é mais grave ameaçar pessoas, acho eu.