sexta-feira, 5 de abril de 2013

Relvas: as instituições que cumpriram (ou não) os seus deveres

  1. A Entidade Reguladora da Comunicação Social provou que Relvas mentiu, sabia que ele tinha acedido aos ficheiros SIS/SIED sobre a vida privada de jornalistas, e decidiu por votação partidariamente orientada não o condenar. A instituição liderada por Carlos Magno demonstrou que não protege os direitos dos cidadãos contra o governo, preferindo servir o poder político do momento.
  2. A Inspecção Geral da Educação e Ciência propôs a «nulidade do ato de avaliação» de um aluno de 2006 que em 2013 é ministro, com razões fundamentadas, implicando a «declaração de nulidade do grau». Cumpriu, mesmo estando na dependência directa do ministério. Serviu a Universidade.
Acontece que é mais grave ameaçar pessoas, acho eu.

1 comentário :

  1. Achas e achas muito bem.
    Mas enfim, já Al Capone só foi de cana por fuga ao fisco...

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.