quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Falta o resto

Acho muito bem que o Canal Parlamento passe a estar disponível para quem tem TDT. Agora fica a faltar o resto: a RTP Informação, e a RTP Memória, e a RTP Internacional... Se é serviço público, é para todos.

3 comentários :

  1. Nada impede que uma empresa pública (neste caso a RTP) desempenhe, além do serviço público, outros serviços de caráter não-público.
    Por exemplo, as universidades públicas portuguesas fazem serviço público (educação superior paga pelo Estado) mas também fazem serviço não-público (educação superior, em particular mestrados, paga por quem a recebe).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A comparação é estranha (e acho completamente disparatada essa separação entre mestrados e licenciaturas). Mas fiquei sem entender que serviço «não público» sugere para a RTP.

      Eliminar
    2. Como é normal com o Lavoura, a comparação é estranha e disparatada.
      É que ele nem percebe que o que está errado é que tanto a RTP (paga por todos) como a Univ Pública (paga por todos) têm serviços que deveriam ser públicos (porque fazem parte do seu, digamos, "mandato"), mas não o são.

      Se a RTP quer ganhar dinheiro "por fora" do mandato, que venda os seus programas ao estrangeiro, como faz a BBC britânica ou YLE finlandesa (e estas duas nem publicidade têm), por exemplo.

      Não há uma lei qualquer nos EUA em que todo o produto de investigaçäo produzido em Univs públicas torna-se público? Ou foi barrado pelas corporaçöes?

      Mas que querem, é a pseudo-lógica neoliberalóide!

      Eliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.