sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Declaração e justificação de voto

Estava eu aqui com pouco tempo e, mesmo assim, a dar-me ao trabalho de escrever uma declaração/justificação de voto e dou com esta pérola:
"Sampaio da Nóvoa, um professor que conseguiu chegar a reitor sem ter obtido nenhum dos seus títulos académicos em Portugal..."
Nada do que eu escrevesse poderia ser tão eloquente como este texto (aliás, cheio de desinformação, como é habitual no seu autor). Mas esta frase que destaquei merece ficar para a posteridade. (Professores meus como o Jorge Dias de Deus, por sinal antigo presidente do Técnico, nunca poderiam ser reitores para o José Manuel Fernandes. Ou o Alexandre Quintanilha, que por acaso foi Presidente do Conselho Científico do Instituto Abel Salazar. O próprio Mariano Gago conseguiu acabar o curso em Portugal por um triz, antes de ter que fugir perseguido pela PIDE - tal como o Dias de Deus.)
Eu voto contra esta gente que nos governou nos últimos quatro anos e meio, que está instalada no topo de toda a comunicação social, e voto contra o candidato que eles andaram a preparar por 20 anos. O voto mais eficaz, o voto em quem fez a melhor e mais sensata campanha. é em Sampaio da Nóvoa.