sexta-feira, 2 de maio de 2008

Parlamento democrático homenageia fascista

  • «O Parlamento aprovou hoje um voto de pesar pela morte do Cónego Melo, com os votos favoráveis do CDS-PP e do PSD, a abstenção da maioria dos deputados socialistas e o voto contra do PCP, BE e PEV. Apesar da abstenção do grupo parlamentar socialista, as deputadas Matilde Sousa Franco, Rosário Carneiro, Teresa Venda e o deputado Ricardo Gonçalves não acompanharam o sentido de voto da bancada, tendo votado favoravelmente o voto de pesar apresentado pelo CDS-PP. No final da leitura do voto, e no momento imediatamente anterior a ser feito um minuto de silêncio, muitos deputados socialistas, como Vitalino Canas, Manuel Alegre, João Soares ou Vítor Ramalho, saíram da sala do plenário da Assembleia da República. Todos os deputados do BE abandonaram igualmente o plenário, tal como alguns deputados do PSD, como Emídio Guerreiro e Miguel Macedo, não tendo, assim, participado no minuto de silêncio.» (Sol)
Registe-se que no PS há socialistas de esquerda que tiveram a atitude digna de abandonar a sala, e simultaneamente uma ala clerical que votou a favor da homenagem ao Bin Laden português. Quanto ao resto do Parlamento, não houve surpresas. Nem no PCP, que não abandonou a sala na homenagem a um dos homens que lhe terá mandado destruir as sedes do Norte, nem no CDS que enaltece o crime e o terrorismo, nem no PSD, em que apenas uma pequeníssima minoria saiu da sala.