sexta-feira, 28 de maio de 2010

Climatologistas, cientistas, e efeito de estufa

Mantendo a polémica que existe com outros autores deste blogue, cá vai mais um excelente vídeo sobre a questão do efeito de estufa. Mais um excelente trabalho de divulgação de Potholer54, cujo canal aconselho vivamente.

4 comentários :

roskoff disse...

ora o seu 10-minute Cloud-top Cooling (CTC) Rate (UW-CIMSS)muy pouco pois climatologia é uma coisa
prever mudanças globais é outra
não-especialistas como jawal e henrikson desenvolveram modelos matemáticos utilizados hoje em climatologia
físicos não se arrogaram o direito de compreender os fenómenos actuais do que qualquer climatologista
os papéis sobre o pérmico são discutíveis ocorreu mudança e o mecanismo foi provavelmente tectónico mas qual a duração...
Monitors cloud-top IR brightness temperature based on an operational cloud mask using a box-averaging method
Convective Initiation (CI) Nowcast (UW-CIMSS)
Based on CTC product with more stringent requirements for cloud-top microphysical properties
Based on RUC objective analysis fields and cloud-top temperature
isto são modelos para fenómenos locais os futuros trends globais não são previsíveis
nem se encontram validados
porque são tendências
como o aquecimento do Xºséculo
ou a pequena idade do gelo da idade moderna
não há previsibilidade
este vídeo é tão comercial como os imbecis que pretende refutar
as qualificações...
estes mesmos que apoiam a teoria
rejeitavam-na há 20 anos e há 30 anos atrás

João Vasco disse...

roskoff:

Não posso contra-argumentar no que diz respeito à maior parte daquilo que afirma, porque simplesmente não entendi. Peço-lhe que faça um esforço para se exprimir de forma mais inteligível.

Posto isto, acho curioso que escreva:

«estes mesmos que apoiam a teoria
rejeitavam-na há 20 anos e há 30 anos atrás»

A verdade é que a teoria actual sobre o efeito de estufa com causa antropogenética já era maioritária entre os especialistas há cerca de 20-30 anos*. No entanto, há medida que novos dados vão surgindo, essa teoria científica foi-se tornando mais convincente, e o número de especialistas que não defendem essa teoria foi minguando.
Assim, é verdade que existe quem hoje aceite a teoria e a rejeitasse há décadas, mas isso acontece devido ao surgimento de novos dados , e apenas mostra que a aceitação ampla da teoria não se deve a nenhum preconceito de raiz, mas sim, como costuma acontecer nas ciências naturais, a um conjunto crescente de observações** que a confirmam.

*um mito popular na internet é o de que os cientistas há algumas décadas defendiam que corríamos o risco de entrar numa "idade do gelo". É verdade que existiram cientistas que temeram essa situação, e até publicaram artigos nesse sentido. Mas, mesmo nessa altura, três vezes mais artigos científicos mantinham que o verdadeiro perigo era o aquecimento global.

** como por exemplo os dados relativos à actividade solar ao longo de vários anos, que tornam muito mais difícil (impossível?) atribuir todo o aquecimento que se tem verificado a esta actividade.

Ricardo Alves disse...

As qualificações das pessoas que acreditam numa versão ou na outra, só por si, não significam nada sobre os factos.

João Vasco disse...

Ricardo,

Nem tu nem eu temos acesso directo aos factos.

Nem tu, nem eu, temos acesso directo às ferramentas adequadas para os interpretar.

Se quase todos os médicos dizem que isto é um cancro e não uma borbulha, podem estar enganados. Mas eu diria que faz mais sentido dar-lhes ouvidos a eles, que ao colega da minha namorada que fingiu ser médico e disse que não era nada.