quinta-feira, 25 de agosto de 2005

Sim, Einstein era muito crente!

«It was, of course, a lie what you read about my religious convictions, a lie which is being systematically repeated. I do not believe in a personal God and I have never denied this but have expressed it clearly. If something is in me which can be called religious then it is the unbounded admiration for the structure of the world so far as our science can reveal it
(Albert Einstein, The Human Side)
«It seems to me that the idea of a personal God is an anthropological concept which I cannot take seriously. I also cannot imagine some will or goal outside the human sphere... Science has been charged with undermining morality, but the charge is unjust. A man´s ethical behavior should be based effectually on sympathy, education and social ties and needs; no religious basis is necessary. Man indeed would be in a poor way if he had to be restrained by fear of punishment and hope of reward after death
(Albert Einstein, Religion and Science)

8 comentários :

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Sob os auspícios do Ministério da Educação, o Satanismo há muito que chegou às salas de aula. O Ensino dos valores judaico-cristãos foi substituído pelo Marxismo, um disfarce do Satanismo. Os grandes heróis como Oliveira Salazar são esquecidos, e bandidos como Mário Soares, Cunhal, Otelo, Guevara e Fidel Castro, são exaltados. Os Demónios são mesmo para serem abatidos”! – Quitéria Barbuda in “O Comunismo é um filho bastardo do Satanismo”, nº 17, 2005.

www.riapa.pt.to

Geosapiens disse...

Caros...na acepção comum da crença religiosa é um facto que Einstein não era crente, mas tal como demonstro na minha página de Internet este acreditava num Panteísmo Cientifico, ou seja nem era Teísta (como se comprova pelas suas palavras) nem Ateísta (como muitos prefeririam que fosse), como ser inteligente que estudava o universo de forma cientifica tinha que reconhecer no mesmo algo de sagrado, pois ao todo e a tudo é impossível de dar respostas...

Ricardo Alves disse...

Anonymous,
não percebo o que esse arrazoado tem a ver com o meu artigo sobre o Einstein...

Ricardo Alves disse...

Geosapiens,
visitei o seu blogue e não encontrei o artigo sobre o Einstein. Mas deixe-me dizer-lhe que não compreendo esse salto do «é impossível encontrar respostas para tudo» para o «existe algo de sagrado no Universo». O que tem uma coisa a ver com a outra?

Geosapiens disse...

Caro Ricardo se tivesse lido o meu comentário como não parece...que o fez com a atenção devida...perceberia duas coisas:
A afirmação “a minha página de Internet” é diferente de “o meu Blog”...ou seja se procurar nos Links na faixa do lado direito no subtítulo do “Outras páginas e blogs do autor”...há lá um link com o titulo “A minha página pessoal”...e é lá que vem no capitulo dos Panteístas Famosos em que aparece fundamentado que este “acreditava num Panteísmo Cientifico”.
O arrazoado de palavras como você o descreve tem um encadeamento de palavras e só uma pessoa com muito má vontade...não percebe que as afirmações “é impossível encontrar respostas para tudo” e “existe algo de sagrado no Universo”, não foram proferidas por mim mas e cito-me: “pois ao todo e a tudo é impossível de dar respostas...”...as afirmações atrás são por isso fruto de algum delírio seu momentâneo (pois deduzo que é um ser inteligente e percebeu o meu arrazoado de palavras), por isso é uma coisa nada tem a ver com a outra...

Zé Geremias Povinho Leitão disse...

o Einstein sempre foi um grande genio...