sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Desabafo

Há muitos anos que me vim esconder aqui, neste Texas selvagem onde não há nada, nem museus, nem restaurantes, nem livrarias, nem ideias.  Isto é o campo e as pessoas vivem em casa e vão à missa três ou quatro vezes por semana.  Fora isso vêem a Fox News e vivem aterrorizados com "o aborto" ou "o casamento gay" ou "os muçulmanos" ou "as pessoas que acreditam que descendemos dos macacos".

Trabalho que me farto, leio livros e não tenho praticamente vida social.  A direita aqui é o Ku-Klux-Klan.  Ninguém sabe quem era o Hayek (nem onde é a Áustria!) e por isso quando, como hoje, oiço alguém citar a Margaret Thatcher choco-me a sério.  Aqui na pradaria esqueço-me que ainda há boçais que acham que aquela criatura repugnante, mesquinha, estúpida, sociopata, merece ser citada.  A Margaret Thatcher era uma boçal sem educação.  Como é que é possível que alguém ainda se atreva a citar aquela abrutalhada sem estilo, ignorante, bronca e triste?!  O Reagan tinha um astrólogo na Casa Branca, o Bush era ex-drogado e ex-alcoólico, a Ayn Rand era ateia e ninfomaníaca, o Estaline tinha uma biblioteca enorme, o Hitler queria ser pintor...  os grandes sociopatas do século XX tinham alguma espessura, alguma humanidade, expressa em contradições e emoções.  A Thatcher não: era só triste e boçal.  Tremendamente boçal.

2 comentários :

  1. Foi graças a ela que se fez alguma coisa para combater o problema do buraco da camada de ozono (creio que ela, nos seus tempos de química antes de ser política fez alguns estudos sobre os perigos dos CFCs que foram decisivos para convencer os céticos)

    ResponderEliminar
  2. Era difícil que TODA a vida dela fosse um desastre :o) que nunca tivesse tomado uma decisão que não fosse perversa e corrupta.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.