segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Fidel Castro (1926-2016)

No desaparecimento de Fidel Castro, julgo relevante recordar um texto escrito aqui quando estive em Cuba, há quatro anos. A Fidel Castro não perdoo não ter garantido as liberdades fundamentais dos cidadãos cubanos, as prisões, torturas e mesmo a morte de opositores. Tal repressão é inaceitável em qualquer circunstância, e tanto mais injustificável quanto sempre pareceu à generalidade dos observadores (e a mim também, quando lá estive) que a maioria dos cubanos apoiava a revolução. Também não gostei do culto de personalidade que vi em Cuba. 
Dito isto, Cuba deve ser comparada com os seus vizinhos, países do Terceiro Mundo. Comparado com eles, é um país bem menos miserável e com muito melhores índices socioeconómicos, na educação e na saúde. É uma sociedade bem mais igualitária, embora a pobreza seja generalizada (mas disso o governo não será o principal culpado, e os países à volta também são pobres). Acresce que a Revolução Cubana foi um exemplo para as lutas de muitos outros povos no mundo, que Cuba apoiou. Por tudo isto, eu continuo com o povo cubano. Hasta la victoria!


2 comentários :

Carlos Miguel Sousa disse...

«....sempre pareceu à generalidade dos observadores (e a mim também, quando lá estive) que a maioria dos cubanos apoiava a revolução. Também não gostei do culto de personalidade que vi em Cuba. »

No dia 24 de Abril de 1974, era exactamente essa a mesma sensação que existia internacionalmente sobre o Estado Novo.

Infelizmente não passa de uma «sensação», porque se fosse perguntado a cada um dos cubanos, fora de cuba, ou em condições onde eles não pudessem sofrer qualquer tipo de represálias, e acreditassem nisso ( esta é a parte mais dificil...) certamente que esse apoio não seria o mesmo.

A ingenuidade do autor deste texto só se justifica pelo wishfull thinking, que a realidade fosse mesmo essa, nada mais.


Luís Lavoura disse...

"Cuba deve ser comparada com os seus vizinhos, países do Terceiro Mundo"

O problema é que, já antes da revolução castrista Cuba era muito mais avançada do que os seus vizinhos. A experiência mostra que o progresso relativo tende a manter-se, independentemente dos regimes políticos (veja-se por exemplo os casos da Alemanha de Leste, da Polónia e da Roménia sob o regime comunista - estavam nas mesmas posições relativas de desenvolvimento que antes desse regime).

Ou seja, Cuba é mais avançada do que o Haiti, mas isso não se deve aos regimes políticos, nem de Cuba nem do Haiti!