segunda-feira, 26 de maio de 2014

Rescaldo das eleições europeias (III)

A (relativa) derrota do LIVRE é simétrica da vitória do Marinho Pinto. O resultado do Marinho (e não o do LIVRE - a derrota do LIVRE está mesmo aqui neste aspeto) demonstra que uma força que tenda a ocupar este espaço político, faz todo o sentido (mas evidentemente nestas eleições o LIVRE não o conseguiu, e é um derrotado). Há um enorme descontentamento do eleitorado de esquerda, e que não queira votar na CDU, com os outros partidos.

3 comentários :

  1. Votei LIVRE e estou muito contente! Ainda que não concorde com a visão Europeísta do Livre penso que a esquerda tem de pôr as suas diferenças de lado e unir forças, pois só assim pode derrubar a direita neoliberal.
    Posso também acrescentar que estou farto da CDU pelo seu sectarismo e estalinismo, farto do bloco pelas pessoas que o representam e por gastar todas as suas forças com assuntos acessórios.

    ResponderEliminar
  2. Não concorda com a visão Europeista do Livre, mas votou nesse partido. SÓ PARA RIR.

    E eu que pensava que os cidadãos votavam nos partidos com que concordavam.

    ResponderEliminar
  3. O programa do LIVRE não se resume à sua visão Europeísta e não é que eu discorde totalmente dessa visão, apenas não vejo a permanência na UE como benéfica para o país no actual contexto social e económico.
    Quero também acrescentar que votei no partido com o qual me identifico mais porque se fosse a votar num no qual concordasse em todos os pontos programáticos, acabaria por não votar em nenhum.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.