segunda-feira, 12 de maio de 2014

Razões para eu estar no LIVRE (1): desbloquear a esquerda

  • «Portugal ou tem governos de direita ou tem, de vez em quando, de centro; de esquerda é que não tem tido. Porque a única forma de termos governos de esquerda é ultrapassarmos tabus de décadas, os taticismos das direções e este entrincheiramento e fazermos as alianças com quem existe, com os seus defeitos e as suas virtudes. E aí, evidentemente, conta-se o PS que é o partido que sistematicamente, desde 1975, na metade esquerda do eleitorado tem tido melhores resultados. O PS é um partido perfeito? Defende aquilo que eu defendo? Não, senão seria militante do PS e não sou. Nós estamos muito à esquerda do PS, estamos no meio da esquerda e não temos em relação ao projeto europeu o seguidismo que tem o PS. Nós somos europeístas, mas há diferenças muito claras. No entanto, as alianças entre qualquer lugar do mundo fazem-se entre diferentes. Se a esquerda quer continuar a fazer o que faz há 40 anos, o povo continuará a pagar o mesmo preço.» (Rui Tavares em entrevista ao Diário de Notícias)

1 comentário :

  1. Hão-de desbloquear tanto a esquerda como os Verdes na Alemanha, o PCF em França ou o Dimar na Grécia... Viva a pequena-burguesia universitária temente, mais que tudo, de colocar em causa o domínio do capital!

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.