segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Não deixar o Grande Líder cair em ridículo

Nenhum primeiro-ministro do mundo convida os jovens com elevado nível de formação a emigrar. O inimaginável aconteceu há meses com Passos Coelho e rapidamente surgiram dezenas de apoiantes (que 24h antes teriam concordado comigo) a aplaudirem a audácia do PM - algo como a versão política do seguidismo dos fanboys da Apple.
Na sua entrevista há dias, quando questionado sobre o destino dos fundos provenientes do corte da TSU nas empresas, o PM no seu habitual jeito atabalhoado de quem não tem resposta e tem de inventar uma no momento, diz que o Estado tem mecanismos para forçar a baixa de preços (tem??) e que poderia forçar as empresas a reinvestir o dinheiro extra.
Pois bem, desta vez o PSD e o governo foram mais longe na sua vontade de não deixar Passos Coelho fazer má figura, e vão tornar a ideia que lhe veio à cabeça no directo da RTP, em lei. O PSD pensa obrigar as empresas a reinvestir os fundos desse corte. Desde 1975 que não se via um governo com tanta vontade em interferir directamente nas decisões internas das empresas privadas... ironicamente um governo da ala liberal do PSD.
Para lá do ridículo, a medida contraria em toda a linha a grande motivação desta jiga-joga da TSU: baixar o preço do trabalho, que incentivaria a contratação de mais trabalhadores.

Pedro, amigo: pensa duas vezes antes da abrir a boca. A malta agradece. Abraço,
Miguel