terça-feira, 7 de abril de 2015

Na FCT nem tudo são "erros informáticos"

Sobre a demissão de Miguel Seabra, é pena por um lado - seria um prazer demiti-lo por incompetência. Obrigado ao Público - à Teresa Firmino, ao Samuel Silva: quem mais denunciou, sempre no papel de jornalistas, a incompetência desta gente. O único órgão de comunicação social que o fez. Obrigado ao Sindicato dos Professores da Zona Centro e aos centros de investigação da UTAD e da Universidade do Minho - o CMAT - que não desistiram de levar este processo aos tribunais.
Isto é muito mais que um processo político - é uma questão de incompetência. Toda esta política de cortes poderia ter sido levada a cabo - não deveria, mas poderia. Por sacanas a sério. Estes tipos, mais do que sacanas, são incompetentes. E é isto, só isto, que o Público tem vindo quotidianamente a noticiar. Trapalhadas sucessivas. Uma política errática. Ambiguidades e incongruências, exceto no único objetivo: o corte cego. A "poda", como alguém lhe chamou.
Não agradeço obviamente a quem andou com este ministro ao colo até ao dia em que o seu centro de investigação não teve financiamento, e só então se lembrou de começar a barafustar. A quem a carapuça servir que a enfie.
Finalmente - como disse, trata-se sobretudo de uma questão de competência. Mas obviamente também é uma questão política. Este governo começou a cair hoje.

Sem comentários :

Enviar um comentário

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.