quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

A requisição civil na TAP

Mesmo que não seja possível prosseguirem com a greve, a requisição civil hoje decretada por parte do governo é uma enorme vitória da parte dos trabalhadores da TAP. Uma requisição civil só faz sentido para uma empresa pública. Toda a argumentação apresentada pelo governo para justificar esta medida pode ser utilizada para justificar que o Estado controle a TAP (e muitas outras empresas privatizadas ou em vias de o serem). Esta luta merece todo o apoio.

3 comentários :

  1. Uma requisição civil só faz sentido para uma empresa pública.

    Como assim? A requisição civil faz sentido para toda e qualquer empresa que preste um serviço essencial. Não tem necessariamente que ser pública.

    Se por exemplo a EDP fizesse uma greve que colocasse em risco o abastecimento de eletricidade ao país, talvez houvesse lugar a uma requisição civil. Ou se a TMN fizesse uma greve que deixasse os telemóveis dessa rede sem funcionar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luís, o que escrevi - a requisição civil só faz sentido para empresas controladas pelo estado - é uma opinião minha. Que mantenho.

      Eliminar
  2. A este respeito o Miguel Madeira apanhou uma ironia interessante:

    http://viasfacto.blogspot.pt/2014/12/a-tap-nao-pode-estar-merce-de.html

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.