sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Braga homenageia o cónego Melo

Numa das praças principais da cidade de Braga existe uma estátua em homenagem ao marechal Gomes da Costa, o comandante do golpe fascista de 1926. Golpe que partiu justamente de Braga. Tendo isto em conta, erguer-se uma estátua ao cónego Melo nesta cidade é algo que me indigna, mas que não me surpreende.

3 comentários :

  1. Filipe,
    como já te disse no Facebook, o marechal Gomes da Costa foi um herói da Grande Guerra. Foi condecorado em 1920 e 1921 justamente por essa razão. Comandou o golpe de 28 de Maio de 1926, certo, mas em 9 de Julho do mesmo ano (seis semanas depois!) já tinha sido afastado da ditadura militar e foi exilado para os Açores. «Ditadura militar», nota bem, porque a «fascização» na altura não era ainda clara. Se calhar ele até foi um dos que tiveram que ser afastados para permitir a «fascização»...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa-me tentar de outra maneira: não vês diferença entre erigir uma estátua em ditadura e fazê-lo em democracia?

      Eliminar
  2. Ricardo, vejo perfeitamente a diferença entre erguer uma estátua em ditadura e em democracia. Não percebo por que perguntas. Também sei que a ditadura militar não era necessariamente fascista, e o Gomes da Costa foi logo afastado (aprendi isso nas exposições dos 100 anos do 5 de Outubro). Ainda assim, não deixou de ser uma ditadura a substituir o teu regime favorito...

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.