sábado, 16 de janeiro de 2010

Há candidato

Manuel Alegre, que há quatro anos ficou a setenta mil votos da segunda volta na eleição presidencial (a margem mais curta de sempre), passou à disponibilidade.
  • «Como republicano, quero uma República moderna, escola pública, serviço nacional de saúde, protecção social, direitos políticos individuais articulados com os direitos sociais, culturais e ambientais.

    Como socialista, acredito na possibilidade de construir uma sociedade mais justa e solidária, através de serviços públicos geridos, não pela lógica do lucro, mas pela realização do interesse geral, e através de um novo modelo económico onde se conjuguem planeamento e concorrência, iniciativa pública e iniciativa privada.
    » (Discurso de Portimão, 15/1/2010)
Sendo evidente que Sócrates não apresentará um candidato contra Alegre - porque terá aprendido a lição de 2006 (quando Alegre teve o melhor resultado de sempre para um candidato sem apoio de uma máquina partidária), a grande incógnita é saber o que fará Cavaco.