quinta-feira, 30 de junho de 2016

"Brexit" (1)

No "Prós e Contras" sobre o "brexit" o Rui Tavares refere, e muito bem, como são diferentes os motivos dos defensores da saída da União Europeia no Reino Unido e em Portugal. No Reino Unido diz-se que a União Europeia é um modelo "socialista" contra os "mercados", enquanto em Portugal se diz exatamente o contrário. É possível que ambos tenham razão, de acordo com as expectativas de cada um. O que não é possível, nesse caso, é conciliar essas expectativas.
No mesmo programa o comissário Carlos Moedas encheu a boca com um discurso muito bonito, de como partilhando a soberania temos mais e não menos soberania. Que exemplos deu ele desta ideia tão bonita? Os empresários, pois claro, que podem abrir uma empresa onde quiserem. Todo o seu discurso, bem como o do outro economista convidado, era só sobre empresas e mercados. O que dizem só se aplica ao capital. A Europa deles é a Europa do capital.
De uma perspetiva europeísta, de uma Europa social, democrática e dos povos, a entrada do Reino Unido na União Europeia foi um erro histórico. O "brexit" deveria ter ocorrido com a chegada ao poder de Margaret Thatcher, em 1979. Não ocorreu, e desde então o Reino Unido foi quem mais influenciou a União Europeia no sentido dos mercados. Da parte da União Europeia, foram só cedências. Da parte da esquerda, foram só capitulações.
Já saem tarde.

Sem comentários :

Enviar um comentário

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.