terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Os irmãos Koch

Alguns filmes americanos mais populares exasperam-me com o seu maniqueísmo infantil. Em particular, alguns vilões destes filmes são personagens bidimensionais, sem qualquer grau de ambiguidade/complexidade, com um passado negro, um aspecto físico que reflecte a sua falta de empatia ou crueldade, e uma falta de escrúpulos caricaturesca.

A realidade, bem mais rica, tem de tudo. Se a esmagadora maioria dos indivíduos está muito distante desta caracterização, existem alguns que constantemente me recordam os "vilões de Hollywood". Os casos mais flagrantes de que me recordo são o criminoso de guerra Dick Cheney, e Bento XVI, envolvido no encobrimento dos escândalos de abuso de menores, entre outras questões.

Outros, menos conhecidos, são os sinistros irmãos Koch. A sua fortuna tem origem também na colaboração com os regimes nazi e a repressão estalinista, e é hoje usada para destruir a democracia nos EUA (correspondendo à origem de uma fatia significativa das contribuições de campanha que transformam o regime norte-americano numa oligarquia), enquanto promovem na cultura popular mentiras em relação às alterações climáticas e à economia, tentando até corromper o mundo académico e destruir o empreendimento científico.

A este respeito, não posso deixar de partilhar este vídeo, que foca também alguns aspectos mais pessoais e igualmente escabrosos:



Post também publicado no Espaço Àgora.

3 comentários :

  1. Nos anos 70, os irmãos Koch era vistos por muita direita como financiadores de uma conspiração esquerdista, ou coisa assim (procurar por "The Cato Institute and the invisible finger", publicado pela National Review em 1979 - talvez seja difícil encontrar uma versão livre completa).

    Eu acho que se a esquerda quer mesmo encontrar um "vilão" puro e duro entre os financiadores do tea party e afins, acho que Richard Mellon Scaife era um melhor candidato que os irmãos Koch (embora com a desvantagem de estar morto)

    ResponderEliminar
  2. Miguel Madeira,

    Esse parece-me um argumento muito fraquinho. Com base em que razões é que eles eram vistos dessa forma?
    É que Obama é visto por alguns como um revolucionário bolchevique fundamentalista islâmico anti-religioso nascido no Quénia...

    Tendo em conta a forma como os Koch financiam todo o tipo de "think thanks" (se calhar nos anos 70 alguns que faziam concorrência ao Cato e daí a animosidade, mas hoje eles também financiam o Cato), Super-Packs, Lobbies e todo o tipo de supostos "movimentos de massas" que se oponham a agendas progressistas, chegando ao extremo de condicionar o ensino e investigação nas faculdade de economia, e tendo em conta a proporção de dinheiro com estes propósitos que tem essa origem, não admira nada que a esquerda nos EUA (pelo menos aquela que quer mudar minimamente o status quo) veja nestes dois indivíduos uma espécie de "inimigo nº1".
    São piores que a Fox News no impacto que têm no debate político nos EUA.

    ResponderEliminar
  3. O motivo é que eles financiavam todo o programa "libertarian" (incluindo a parte anti-CIA, anti-COINTELPRO, pró-legalização das drogas) em vez de só a parte direitista.

    Como digo, o tal artigo da NR é dificilmente acessível (aqui lê-se a primeira página), mas temos aqui um artigo (num site libertarian que provavelmente ainda deve receber algum dinheiro deles, pelo que admito deva ser lido com alguma pitada de sal) sobre o contexto disso

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.