sábado, 25 de julho de 2009

Homofobia & etc.

Hoje estava a ouvir o jornalista Charles Pierce, o homem que escreveu o livro “Idiot America: How Stupidity Became a Virtue in the Land of the Free”, a falar do racismo como um veneno que destrói tudo, conspurca tudo, estupidifica as pessoas, impossibilita-as de pensar e lembrei-me do comentário que um anónino escreveu neste blog, a propósito da candidatura de Miguel Vale de Almeida nas listas do PS.

A homofofia, como o anti-semitismo, ou o racismo, é um ódio sem objectivo, a um grupo de pessoas imaginário, que por ser imaginado pode ser tão mau e tão culpado pelos nossos problemos quanto a imaginação nos permitir.

A homofobia, o anti-semitismo e o racismo são assim formas de demência em que as pessoas aceitam como real um mundo imaginário, em que “os maçons”, ou “os judeus”, ou os “homossexuais” conspiram para dominar o país ou são responsáveis por outras fantasias, sempre mais ou menos infantis (o Hitler adorava livros de cowboys para crianças).

Por isso é importante lembrar constantemente às pessoas, como o pobre de espírito anónimo (com medo de quê?) que escreveu um chorrilho de insultos neste blog, que a homofobia é só isso: uma forma de alienação que simplifica o mundo, divide as pessoas em “bons” e “maus” (como os “cowboys” e os “índios” do Hitler) e que suja, envenena e destrói o mundo em vivemos.

É aliás curioso constatar que aqui no sul dos EUA os racistas gostam de dizer que odeiam todos os negros excepto os negros com quem convivem. Odiar pessoas com base na cor da pele delas, ou na etnia, ou nas preferências sexuais, é uma manifestação de estupidez e falta de educação.

Tudo isto é válido com uma ressalva: a homofobia pode resultar - e resulta frequentemente - de uma sublimação de pulsões homossexuais. Como no célebre caso do pastor evangélico Ted Haggard, o conselheiro espiritual de Bush, violentamente homofóbico, que está farto de ser apanhado na cama com prostitutos. Mas isso é outra história.

13 comentários :

JDC disse...

"a homofobia pode resultar - e resulta frequentemente - de uma sublimação de pulsões homossexuais"

Esta conclusão médica pode ser extrapolada para outros campos? Como, por exemplo, para quem odeia violentamente padres?

Filipe Castro disse...

Talvez... nunca tinha pensado nisso.

Por acaso, quando vejo sotainas sinto-me um bocado invejoso. Daquelas vidas tão excitantes... agora que me diz isso, se calhar eu gostava era de ter sido pároco na província :o)

Agora a sério: eu não odeio todos os padres. Odeio os padres que pactuaram com o fascismo, ou os que lambem as botas aos ricos e aos aristocratas.

Há padres excepcionais, com coragem e com coluna vertebral, que tiraram o melhor da Bíblia e ignoram as superstições.

E odeio a instituição (como já devem desconfiar se lerem os meus posts) pela corrupção e a hipocrisia em que se funda. :o)

Anónimo disse...

Homofobia é o estereotipo dos ignorantes e dos palermas.

Porque razão alguém teriam que aceitar ou condordar com oa actos indecentes e contranatura das outras pessoas?

Sou contra os icendiários, contra os poluidores, contras os delapidadores de recursos, contra os que praticam todos os actos contra a natureza, icnluindo os que, por desporto, dor desafia à sociedade e à cultura, por mero lazer ou por estupidez se dedicam a práticas que servem arpa denegrir a natureza ou nivel das relações sexuais.

A Natureza já fez as adaptações que achou necessário. O restante deve ser proibido, pro ser indecente, estupido e ferir a Natureza.

Ricardo Ferreira disse...

Por isso na Natureza existem muitas especies animais onde existem vários tipos de relações sociais, entre as quais as relações homossexuais.

Ricardo Alves disse...

Anónimo,
para além do facto a que o Ricardo Ferreira aludiu, deveria considerar que quase toda (99%?) a actividade sexual nos países desenvolvidos é «contra natura» (no sentido de não se destinar à procriação).

Anónimo disse...

Ricardo Ferreira, estás enganado.

Ainda recentente, vi num escrito algo do género:

"Não há registo de dois animais do memso sexo que se unam como um casal. Por exemplo: nunca foram registados dois melros machos construissem um ninho como se fossem um casal..."

O que queres tentar provar, não existe.
`Não me vais dizer que um cão montado em outro cão é um exemplo de relação homossexual.

Anónimo disse...

"contra natura" não é aquela que não procria.
É aquela que é uma aberração.
Um acto sexual entre suas pessoas do mesmo sexo é uma aberração "contra natura". Para provar isso, a natureza fez machos e femeas.

Para testar o que é "contra natura", tenta segura as rodas do teu carro com dois parafusos (macho + macho) em vez de um parafuso e uma porca (macho + femea)

ricardo s carvalho disse...

anónimo: não sei o que lhe é maior, se a ignorância se a homofobia. para a primeira recomendo-lhe:

http://seedmagazine.com/content/article/the_gay_animal_kingdom/

"[...] homosexuality that’s been documented in over 450 different vertebrate species. This means that same-sex sexuality—long disparaged as a quirk of human culture—is a normal, and probably necessary, fact of life [...]"

já para a segunda:

http://esquerda-republicana.blogspot.com/2008/05/homenagem-ao-comentador-homof.html

"[...] Homophobia is apparently associated with homosexual arousal that the homophobic individual is either unaware of or denies [...]"

Filipe Castro disse...

Sobre a homossexualidade entre os animais vale a pena ver os últimos 5 minutos deste video: http://www.youtube.com/watch?v=BkrhEWL4vqA&feature=related

Ricardo Ferreira disse...

Anónimo, falar de Biologia com um biólogo é algo que lhe pode ser muito enriquecedor, desde que retire as palas...

Se fala tanto nesse texto esta é uma boa altura para o mostrar.

Mas continuo a dizer-lhe, existem relações sociais no mundo animal, em determinadas especies, em que um tipo dessas relações, são relações homosexuais.

Se prefere levar isso para formar ninhos com melros apenas denota ignorância da sua parte ou preconceito, que é mais grave.

Se precisar de mais algum esclarecimento diga que eu tenho imenso gosto em ajuda-lo.

Filipe Castro disse...

Eu arrepio-me sempre quando me vêm com os argumentos da natureza. Na natureza os fortes comem os fracos, os parasitas crescem dentro do corpo de outros animais, as doenças dizimam espécies inteiras, etc.

O que é que é natural? Há 35 anos era natural os homens baterem nas mulheres. Há 350 era natural a Igreja queimar filósofos e matemáticos por delito de opinião.

Mas já que se fala de natureza, há imensos animais que exibem comportamentos homossexuais, incluindo pássaros que, na ausência de fêmeas, formam pares de dois machos e fazem ninhos. por exemplo: http://www.cnn.com/NATURE/9909/18/gay.vulture.parents/index.html

Ricardo Alves disse...

O argumento da natureza não é grande coisa contra (ou a favor) da homossexualidade. Há uns anos li um artigo no The Guardian em que referenciavam casos comprovados de sexo entre diferentes espécies animais, de animais com cadáveres, etc. Não sei se isso torna mais «normais» as referidas actividades. Só sei que sexo consensual entre adultos não deve ser crime.

Anónimo disse...

Ignorância extrema, Ricardo.

Vejo que nem sequer sabes o que é a homofobia.
Acho até que tens a ideia de que se trata de uma atitude criminosa, quando é algo de natural, e até de desejável.

E a homofilia, é, porventura, melhor?