domingo, 13 de junho de 2010

e outras nem por isso

Ao contrário de Espanha, por cá temos deputadas eleitas pelo Partido Socialista (não as quero adjectivar de "socialistas", pois não me parece que fosse correcto nem para ambas, nem para o resto dos deputados eleitos pelo PS) que aparentam ter uma grande dificuldade com o significado da palavra laicidade... [1]

«[...] [A] proposta das deputadas socialistas Teresa Venda e Maria Rosário Carneiro para que se eliminem feriados [...] Teresa Venda, uma das proponentes, lembra que a eliminação do 5 de Outubro foi apenas um exemplo e que a "ideia é que se eliminem dois dias laicos e dois católicos para que a proposta seja mais equitativa". [...]»

Mais equitativa? Say again?? Enfim, comecem por aqui. Devagarinho, não se magoem...

Posto isto, importa resolver a questão dos feriados religiosos. [1]

«[...] Para Manuel Seabra, vice-presidente do PS, a proposta "tem pernas para andar", só é pena que "tenha sido originariamente inquinada pela sugestão de se eliminar o 5 de Outubro". Também Strecht Ribeiro, outro vice, acha "difícil" mexer-se nos feriados laicos, mas considera que a nível religioso é preciso negociar com a Igreja para haver alguma redução [...]

Um estudo do professor de Recursos Humanos da Universidade Autónoma de Lisboa, Luís Bento, mostra que cada feriado nacional custa 37 milhões de euros ao país. [...]»


Neste sentido, parece-me que 15 de Agosto ("Assunção"), 1 de Novembro ("Todos os Santos"), 8 de Dezembro ("Imaculada Conceição") e o flutuante "Corpo de Deus" poderiam ser eliminados sem mais discussão (havendo ou não direito a algum tipo de compensação na forma de 2 ou 3 dias de férias suplementares).

E já que estamos nisto, e querem falar de feriados laicos, o 10 de Junho de má memória bem que podia deixar de ser "Dia de Portugal" (ou, até mesmo, deixar de ser feriado).

Afinal, poderia haver melhor data para o Dia de Portugal que o 5 de Outubro?


[1] --- PS aceita reduzir feriados sem mexer no 5 de Outubro, Diário Económico [Junho 2010]