sexta-feira, 11 de novembro de 2011

a democracia sob ataque


«[...] Reestruturação na televisão pública: Grupo propõe reduzir informação na RTP [...]» [1]

Cortar ou eliminar a informação na televisão pública traduz-se num único efeito: deixar o grosso da informação controlada pelos poderes económicos que dominam (ou vierem a dominar) os canais privados.

Perde-se o controlo colectivo da isenção, ganha-se o controlo particular das massas.

É preciso dizer isto com todas as palavras: o que o governo, mais precisamente Miguel Relvas e Passos Coelho, estão a tentar fazer é um ataque à democracia, e deve ser combatido enquanto tal.

Infelizmente, algo vai mal quando as únicas vozes que se levantam contra os (diversos) ataques à democracia são a de Otelo ou a de Policarpo.

Ainda hoje, numa temática semelhante, escreveu o Rui Tavares: «[...] Lembremo-nos de que uma democracia só morre quando os cidadãos não a defendem. Ela pode estar ferida quando um governo desrespeita o quadro constitucional. Mas aquilo que a mata é a nossa passividade [...]». Estou em pleno acordo. Não podemos ficar passivos perante o ataque que Relvas e Passos Coelho estão a desencadear contra a democracia. Cabe-nos a todos a responsabilidade de a defender com todos os meios que forem necessários.


[1] --- Grupo propõe reduzir informação na RTP, Público [Novembro 2011]