sábado, 7 de maio de 2011

o problema do sectarismo

O problema do sectarismo é que, por vezes, não deixamos espaço para ouvir o que de interessante os outros podem ter a dizer.

«[...] Nesta lista de conselhos a José Sócrates, Basílio Horta defendeu impostos sobre os grandes lucros, considerando que não se pode «permitir que haja empresas que façam plano fiscal abusivo e distribuam centenas de milhões de euros e não paguem impostos». [...]» [1]


[1] --- Basílio Horta defende mais impostos sobre os grandes lucros, TSF [Maio 2011]

5 comentários :

  1. Então sou sectário porque recordei o passado do senhor Basílio Horta. Sim senhor.

    Então diz-me lá: se o Portas ou o Bagão um dia destes forem candidatos pelo PS, alguém que ache isso estranho é sectário?

    ResponderEliminar
  2. ricardo, como te foi recordado no teu post, o basílio há cerca de 15 anos que vem a apoiar o ps...

    ResponderEliminar
  3. Há quinze anos que apoia o PS?

    Ainda em 2001 foi pré-candidato do PP à presidência da República:

    http://www.freipedro.pt/tb/121000/polit5.htm

    E este ano esteve na Comissão de Honra do Cavaco.

    ResponderEliminar
  4. são os centos de milhares que sonegam impostos que deveriam pagar

    mas tal como os maiorzitos é tãio difícil obrigar a pagar

    isto é ficção ecunómica né?

    ResponderEliminar
  5. 1º dificilmente conseguiremos fazer o que finlandeses ou espanhóis fizeram nos últimos 20 anos em condições mais adversas que as dos nossos últimos 20 anos

    reestruturaram todo o tecido produtivo com alguma ineficácia no caso de Castela Leioa mas com brilhantismo nos restantes casos Catalayud inclusa

    os povos de norte ao contrário dos ibéricos não têm aquela mania de que o escol não suja as mãos e está ali para olhar para o pagode

    têm dezenas de milhares de pequenos empresários na agro-indústria e na sivicultura que sairam das universidades e das escolas profissionais para os seus postos de emprego

    auto-emprego com crédito em muitos casos

    cá importam-se empresários espanhóis e holandeses e nos anos 80 e 90 uns quantos alemães
    e mão de obra que vai da vietcong à moldava

    com jovens agricultores a roçar os 60 anos que eram considerados jovens aos 40 em 1991....e subsidiados para esse fim

    enfim

    mesmo que esses centos de milhões ou mesmo 2 ou 3 mil milhões de lucros não taxados o fossem a 100%

    isso mudava o quê?

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.