sábado, 20 de novembro de 2010

the silence of the wolves

Em qualquer dia, em qualquer hora [1]

«[...] “Já existem palavras a mais na vida pública portuguesa e eu não vou acrescentar mais nenhuma”, afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, em declarações aos jornalistas [...]»

Esta afirmação representa a invariância temporal de Cavaco; é a mesma não importa a data ou o contexto. O político profissional português com mais anos de activo é mais escorregadio que um leitão na lama no que diz respeito... precisamente à política! Cavaco não se compromete com uma ideia, com uma opinião, com uma política: baseia o segredo da sua (maldita) longevidade em ser ... um emplastro.

É para isto que serve o mais alto magistrado da nação?


[1] --- Cavaco diz que “existem palavras a mais na vida pública”, Público [Novembro 2010]