sábado, 20 de novembro de 2010

the silence of the wolves

Em qualquer dia, em qualquer hora [1]

«[...] “Já existem palavras a mais na vida pública portuguesa e eu não vou acrescentar mais nenhuma”, afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, em declarações aos jornalistas [...]»

Esta afirmação representa a invariância temporal de Cavaco; é a mesma não importa a data ou o contexto. O político profissional português com mais anos de activo é mais escorregadio que um leitão na lama no que diz respeito... precisamente à política! Cavaco não se compromete com uma ideia, com uma opinião, com uma política: baseia o segredo da sua (maldita) longevidade em ser ... um emplastro.

É para isto que serve o mais alto magistrado da nação?


[1] --- Cavaco diz que “existem palavras a mais na vida pública”, Público [Novembro 2010]

2 comentários :

  1. É o homem estátua em todo o seu esplendor: não fala, não se pronuncia, não toma partido, não grita, não se compromete. Nada de nada.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.